A EQUIPE DO FC08 DESEJA A TODOS...
UM PRÓSPERO ANO NOVO!!

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Do fundo do baú: Santos 0 x 1 América (1980)

No dia 13 de Abril de 1980, num domingo, Santos e América se enfrentaram, no Estádio do Morumbi, em São Paulo, pelo Campeonato Brasileiro de 1980, e a equipe carioca saiu-se vencedora pelo placar de 1 tento a 0, com gol do Atacante Porto Real. Nesse ano, o campeão nacional foi o C.R.Flamengo.

Principal Artilheiro do Campeonato

Zico (FLA): 21 gols

O Jogo

SANTOS (SP) 0 X 1 AMÉRICA (RJ)
Data:
13/4/1980
Campeonato Brasileiro
Local: Estádio do Morumbi / São Paulo
Árbitro: Luiz Zetterman Torres (RS)
Renda: Cr$ 3.827.700
Público: 43.324
Gol: Porto Real 37/2
SANTOS: Marola, Nélson, Márcio, Neto, Paulinho, Toninho Vieira, Miro, Pita(Rubens Feijão), Claudinho(Carlos Silva), Nílton Batata, João Paulo / Técnico: Pepe
AMÉRICA: Jurandir,Uchoa, Marinho Peres, Heraldo, Valmir, Nedo(Celso), João Luís, Nélson Borges, Serginho(Roberto Lopes), Neca, Porto Real,Técnico: Luiz Carlos Quintanilha

O Craque: Marinho Peres

Mário Peres Ulibarri,o Marinho Peres nasceu no dia 19 de Março de 1947 na cidade de Sorocaba no Estado de São Paulo. Marinho Peres fez uma enorme carreira quer enquanto jogador, quer como treinador de futebol e foi nessa qualidade que passou por Guimarães. Esteve pela primeira vez em Guimarães na época 1986/87, como técnico principal do Vitoria, período que ficara para sempre marcada na história do Clube. Foi ele o técnico que comandou os destinos de Cascavel, Ademir, Roldão, Jesus e companhia.

Mas a carreira de Marinho Peres começa muito antes da temporada 86/87. E bem antes de ser treinador de futebol, Marinho percorreu um longo percurso enquanto jogador, passando por clubes históricos no Brasil, em Espanha, concretamente no FC Barcelona, ou na selecção canarinha.

Marinho era defesa central, ou como os brasileiros gostam de chamar, era um zagueiro com belo porte atlético, muito duro e raçudo, que implementava em cada lance todo o empenho e arreganho. Contrariando a vontade de seu pai que pretendia que cursasse Medicina, Marinho optou pela bola. Começou em 1967 defendendo as cores do São Bento (SP). Em 1968 já tinha despertado o interesse de Portuguesa dos Desportos onde esteve ate ao ano de 1971.


Em 1972 deu o salto para um dos maiores clubes brasileiros nos dias de hoje e ainda mais para aquela época. Assinou contrato com o Santos FC de Pelé com quem jogou lado a lado. No Santos conquistou o seu primeiro título, sagrando-se campeão estadual no Paulistão de 1973.

Depois de disputar o Campeonato do Mundo de 1974 na Alemanha, pela selecção brasileira, Marinho Peres deixa o Santos e ruma ao famosíssimo FC Barcelona de Joan Cruyff. Curiosamente no clube catalão, vai encontrar não apenas Cruyff, mas também o avançado holandês Neeskens, a quem Marinho Peres havia agredido na meia finais do Campeonato do Mundo de 1974 na Alemanha.

Enquanto foi jogador do FC Barcelona, Marinho Peres foi comandado pelo técnico que segundo o próprio considera como o “Papa dos treinadores”, precisamente, o holandês Rinus Michels, de quem Marinho retirou muitíssimos ensinamentos que ao longo da sua carreira vem colocando em pratica nas equipas que treina. Alias, o técnico brasileiro considera o holandês Rinus Michels como o seu melhor treinador de sempre.

Em Barcelona, Marinho permanece durante 2 temporadas, e não foi muito feliz. Se na primeira temporada foi titular e um dos esteios da equipa azul grena, já na segunda época as coisas não lhe correram de feição. Em muito contribuiu a entrada para técnico do FC Barcelona do treinador alemão Weiseweller, que implantou um sistema de jogo diferente daquele que Marinho estava habituado e que a muito custo conseguiu adaptar. O alemão impôs um sistema defensivo de marcação homem a homem, o que, para Marinho Peres, na época, constituía uma verdadeira novidade.

Insólita situação passou Marinho Peres na Catalunha, pois aquando da sua transferência para Barcelona, decidiu este adquirir a nacionalidade espanhola. Jogando no Barcelona e com nacionalidade espanhola Marinho Peres foi convocado para durante ano e meio cumprir serviço militar servindo a Marinha. A única solução que lhe restou foi abandonar Espanha.

De Espanha regressou ao futebol brasileiro para a equipa do Internacional de Porto Alegre, onde jogou em 1976 e 1977, sagrando-se campeão brasileiro ao serviço do colorado logo na primeira época. Alem do Brasileirão conquistou ainda o campeonato Estadual Gaucho.


Em 1977 regressou a S. Paulo para jogar no Palmeiras, onde jogou ate 1980 e acabou a carreira de jogador no América FC do Rio de Janeiro, jogando o campeonato carioca e o Brasileirão. Foi exactamente no América FC que Marinho Peres iniciou a carreira de treinador de futebol, numa primeira instância no papel de jogador/treinador.

Marinho, enquanto jogador foi notável e pela sua qualidade chegou a jogar na selecção brasileira a qual capitaneou durante a campanha de 1974 no mundial da Alemanha. Foi internacional canarinho por 15 ocasiões, apontando 1 golo. Nesse Mundial de 1974 o Brasil foi eliminado nas meias finais pela Holanda, famosa laranja mecânica de Cruiff e companhia, e na atribuição do 3º e 4º lugar, acabaria por perder para a Polónia o 3º posto na classificação no final do torneio.

Clubes

1965-1967: São Bento-SP
1967-1972: Portuguesa-SP
1972-1974: Santos FC-SP
1974-1975: Barcelona FC - Espanha
1976-1977: Internacional-RS
1977-1980: Palmeiras-SP
1980: Galícia-BA
1980-1981: América-RJ

Títulos por Equipe
Campeonato Paulista: 1973
Campeonato Gaúcho: 1976
Campeonato Brasileiro: 1976

Fonte: http://gloriasdopassado.blogspot.com/

Nenhum comentário: