A EQUIPE DO FC08 DESEJA A TODOS...
UM PRÓSPERO ANO NOVO!!

terça-feira, 1 de abril de 2008

Do fundo do baú: Vasco da Gama (RJ) 2 x 0 Olaria (RJ) (1947)

No dia nove de Novembro de 1947, num domingo, Vasco da Gama e Olaria se enfrentaram pelo segundo turno do carioca no estádio da Rua Bariri, saindo vencedor o clube da colina histórica pelo placar de 2 tentos a 0. Com uma campanha de 20 jogos, 17 vitórias e 3 empates, os vascaínos sagraram-se campeões invictos do estadual daquele ano.

Principais Artilheiros
Dimas (Vasco) 18 gols
Ademir Menezes (Fluminense) 16
Jair (Flamengo) 16
Durval (Madureira) 16
Moacir Bueno (Bangu) 15

O Jogo

VASCO DA GAMA (RJ) 2 x 0 OLARIA (RJ)
Data: 09/11/1947
Campeonato Carioca
Local: Rua Bariri
Júiz: Mário Vianna
Gols: Friaça e Ismael
VASCO DA GAMA: Barbosa, Augusto, Wilson, Eli, Danilo e Jorge, Djalma, Maneca, Friaça, Ismael e Nestor
OLARIA: Zezinho, Leléco e Amauri, Valter, Cláudio e Ananias, Alcindo, Espinelli, Baiano, Limoeiro e Gérson.

O Craque: Friaça

Albino Friaça Cardoso, o Friaça, nasceu em Porciúncula(RJ) em 20 de Outubro de 1924. Friaça, mora hoje na mesma cidade em que nasceu.

Ele era habilidoso, rápido e bom chutador. Chutava muito bem mesmo. Não chamava atenção pela técnica, mas era um jogador interessante.

A história de Friaça no Vasco começou em 1943. O ex-jogador defendeu o Ipiranga, de Carangola (MG) em um amistoso contra os vascaínos e tanto que se destacou, sendo contratado pelo técnico Ondino Vieira. Após uma breve passagem, por empréstimo, ao Botafogo, voltou ao Vasco da Gama para integrar o famoso “Expresso da Vitória” e começar uma seqüência de conquistas: campeão carioca invicto de 1945, do Torneio Municipal de 1946, carioca invicto e do Torneio Municipal de 1947, e sul-americano invicto de 1948.

Em 1949, Friaça transferiu-se para o São Paulo. Apesar do pouco tempo no Tricolor do Morumbi, o ponta é lembrado com carinho até hoje pelos antigos torcedores. Campeão invicto paulista e artilheiro do Estadual (24 gols), em um time que ainda contava com Leônidas da Silva.
Albino Friaça Cardoso é o único jogador brasileiro que fez um gol numa final de Copa do Mundo no Maracanã. Foi no dia 16 de julho de 1950, quando a Seleção Brasileira foi derrotada pelo Uruguai por 2 a 1, de virada, e perdeu a chance de ser campeã do mundo em casa, uma das maiores tragédias do futebol brasileiro, e que jamais será esquecida, assim como os feitos do eterno ponta.

Ele poderia ter se tornado o primeiro grande herói do Brasil em Mundiais caso a Taça tivesse ficado com nossa equipe. Mas o triunfo uruguaio no Maracanã acabou com qualquer esperança de um futuro glorioso para aquela geração. Como punição do destino o ex-jogador, atualmente com 83 anos, caiu no esquecimento. Um erro capital, pois o “país do futebol” deveria reconhecer os personagens que fizeram do Brasil uma referência no esporte mais popular do planeta, mesmo antes de seu primeiro título.

Aquela derrota não deveria ter apagado toda história construída por Friaça em sua carreira. Dono de um chute muito forte, Friaça se destacou nos clubes por quais passou pelo seu incrível potencial. Vascaíno de coração,jogou no Vasco da Gama de 1944 a 1949, fazendo parte do “Expresso da Vitória”, campeão sul-americano invicto em 1948.

Apesar de não ter seu nome lembrado pela maior parte dos brasileiros, Friaça é uma celebridade em sua cidade natal: Porciúncula, no interior do Rio de Janeiro, onde vive atualmente com problemas de saúde. Lá, ele dá nome ao estádio, à maior loja e, inclusive, já foi enredo de escola de samba. Uma homenagem merecida a um dos ídolos do nosso futebol.

O ex-atacante foi dono de uma loja de materias de construção, administrada pelos seus filhos. Friaça sempre foi um homem alegre, mas ficou debilitado principalmente por causa da morte de um dos filhos em acidente de asa delta, na metade dos anos 90. Depois da tragédia, Friaça nunca se privou do cigarro e da bebida, que prejudicaram sua saúde.

Clubes:
1943-1944: Ipiranga (Carangola)-MG
1944: Botafogo-RJ
1944-1949: Vasco de Gama-RJ
1949-1951: São Paulo FC-SP
1951-1954: Vasco de Gama-RJ
1954-1955: Ponte Preta-SP

Seleção Brasileira
Total: 13 jogos, 8 vitórias, 3 empates, 2 derrotas, 1 gol
Em Copas do Mundo: 4 jogos, 2 vitórias, 1 empate, 1 derrota, 1 gol
Contra seleções nacionais: 12 jogos, 7 vitórias, 3 empates, 2 derrotas, 1 gol
Contra clubes e combinados: 1 jogo, 1 vitória

Títulos
1945 - Campeonato Carioca - Vasco da Gama
1946 - Torneio Relâmpago - Vasco da Gama
1946 - Torneio Municipal - Vasco da Gama
1947 - Torneio Municipal - Vasco da Gama
1947 - Campeonato Carioca - Vasco da Gama
1947 - Copa Rio Branco - Seleção Brasileira
1948 - Campeonato Sul-Americano de Clubes - Vasco da Gama
1949 - Campeonato Paulista - São Paulo FC
1950 - Copa Rio Branco - Seleção Brasileira
1950 - Taça Oswaldo Cruz - Seleção Brasileira
1952 - Campeonato Pan-Americano - Seleção Brasileira

Fontes: wikipedia,sambafoot.com,http://www.futebolinterior.com.br/oOndeAnda.php?iD=4241/Netvasco.

Do fundo do baú: Todas as terças e sextas-feiras
Próxima postagem: Paulo Borges (Bangu)

Nenhum comentário: