A EQUIPE DO FC08 DESEJA A TODOS...
UM PRÓSPERO ANO NOVO!!

quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Eu já sabia !

Diguinho, Jorge Henrique e Lúcio Flavio festejam a goleada
Foto: Agência Estado


Torcedores do Glorioso,

Não tem mais graça. Toda a vez que o Botafogo joga contra o Atlético-MG, eu tenho certeza de que a vitória virá, seja no Rio de Janeiro ou em Minas Gerais. Ontem a vitória não valeu três pontos, mas valeu passagem à próxima fase da Sul-Americana e a manutenção da superioridade sobre os mineiros. Lúcio Flávio (2), Jorge Henrique, Carlos Alberto e Leandro Almeida (contra) marcaram para o glorioso, com Lenílson fazendo os dois do Atlético.

A partida começou com uma leve pressão do galo, parecia que o clube mineiro iria enfim vencer o Botafogo, mas ainda estava longe de uma classificação. Por sua vez, o Botafogo mal chegava ao ataque, faltava ainda alguém aparecer para "chamar a responsabilidade". Aos oito minutos Jael saiu na cara de Castillo e bateu forte para excelente defesa do goleiro titular da seleção uruguaia. O Bota ainda estava acuado, o time montado por Ney Franco não estava jogando o que sabia.

A partir de então, o Botafogo passou a mostrar que não está entre os quatro primeiros do campeonato por acaso. Aos 21 mintos, após corte equivocado da defesa, o camisa 10 Lúcio Flávio pegou de primeira e marcou um golaço. O maestro não fazia um gol com a bola rolando desde o jogo contra o Duque de Caxias, no estadual. Parece que o capitão gostou de fazer gols assim, tanto que aos 26 minutos ele escorou de primeira um cruzamento de Jorge Henrique e marcou novamente. Botafogo 2 a 0.

Antes de começar o jogo, havia a expectativa de que Lúcio Flávio não jogasse essa partida. Ele não só jogou, como marcou duas vezes. E o que falar de Jorge Henrique, o camisa 23 sentiu dores durante a partida e quase foi substituido. Ficou no jogo e também marcou gol. Foi logo com um minuto do segundo tempo, após receber de Zé Carlos e arrematar a bola de primeira para o fundo do gol.

O time de Ney Franco enfim marcava mais de um gol após 4 partidas (Palmeiras, Sport, Cruzeiro e Vasco), restava agora contar com a defesa para sair de campo sem levar gol. Mas isso não foi possível. Após chute de Renan, Castillo deu rebote nos pés de Lenílson que escolheu o canto e descontou. A essa altura, aos 15 minutos do segundo tempo, o desespero dos atleticanos era tamanho que nem se ouviu os gritos de gol. Quem parecia em casa era o glorioso, com os cantos da torcida ecoando pelo mineirão. Alguns cantos fazendo alusão ao tempo que o galo não vence o Bota, outros dizendo que o Botafogo era campeão mineiro, por ter vencido Cruzeiro e Atlético.

O alvinegro não descansou e conseguiu o quarto com extrema facilidade. Alessandro encontrou Gil pelo lado esquerdo, o atacante esperou Carlos Alberto chegar na área e cruzou para ele empurrar para o gol de cabeça. A vibração de Gil e Carlos Alberto foi intensa. Sem esperança para mais nada, alguns torcedores do Atlético ainda fizeram o Brasil inteiro rir, ao gritar "olé" e "É campeão" com uma desvantagem tamanha.

Parece que o único comovido com os cantos dos mineiro foi Gil, justo ele que jogou no rival do Atlético, o Cruzeiro. Após pênalti em Jorge Henrique, ele teve a chance de ampliar, mas chutou no estilo Roberto Baggio na copa de 94 e desperdiçou. Não fazia a menor diferença, o jogo já estava ganho. Mas perder pênalti Gil, e ainda mais bater tão mal assim com o melhor batedor de pênaltis do Brasil, quiça do mundo, jogando ao seu lado? Logo depois, num contra-ataque rápido, Gil tentou tocar para Carlos Alberto, mas se enrolou todo e o máximo que conseguiu foi cair sentado no gramado.

Como quem não faz, leva. O galo descontou com o único jogador mediano do time, Lenílson. A defesa deu bobeira e espaço e o camisa 22 soltou o pé esquedo na saída de Castillo. Disposto a golear, o Botafogo fez mais um, aos 41 minutos. Carlos Alberto cobrou escanteio e o zagueiro Leandro Almeida colocou para dentro quando era pressionado por Gil.


Se alguém perdeu a conta no meio do caminho, o Botafogo goleou por 5 a 2 e vai viajar para Cali, na Colômbia, onde encara o vencedor do confronto entre Deportivo e América na próxima fase da Sul-Americana.

ATLÉTICO-MG 2 X 5 BOTAFOGO

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data/hora: 27/08/2008, às 22h
Árbitro: Evandro Rogério Roman (SP)
Auxiliares: Altemir Hausmamm (RS) Emerson de Carvalho (SP)
Renda/público: R$ 43.975,00 / 5.081 pagantes
Cartões Amarelos: Jael, Vinícius, Serginho e Leandro Almeida (ATL); Andre Luis (BOT)
Cartões Vermelhos: Serginho, 33'/2ºT
GOLS: Lucio Flavio, 21'/1ºT (1-0); Lucio Flavio, 28'/1ºT (2-0); Jorge Henrique, 1'/2ºT (3-0); Lenílson, 14'/2ºT (1-3); Carlos Alberto, 19'/2ºT (1-4); Lenílson, 36'/2ºT (2-4); Leandro Almeida (contra), 40'/2ºT (2-5)

ATLÉTICO-MG: Édson, Mariano, Vinícius, Leandro Almeida, e Luís Gustavo (Renan, intervalo); Denílson (Gedeon, 20'/2ºT), Márcio Araújo, Serginho e Lenílson; Pedro Paulo (Rafael Aguiar, 12'/2ºT) e Jael - Técnico: Marcelo Oliveira

BOTAFOGO: Castillo, Thiaguinho (Alessandro, intervalo), Renato Silva (Ferrero, 16'/2ºT), Andre Luis e Triguinho; Diguinho (Zé Carlos, intervalo), Túlio, Lucio Flavio e Carlos Alberto; Jorge Henrique e Gil - Técnico: Ney Franco

Um comentário:

Jorge Costa disse...

Ganhar do combalido Atlético Mineiro é covardia. No estado atual do time até meu clube de pelada ganha deles.
Abraços vascaínos