A EQUIPE DO FC08 DESEJA A TODOS...
UM PRÓSPERO ANO NOVO!!

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Do fundo do baú: Palmeiras (SP) 1 X 0 Fluminense (RJ): 1971

No dia 4 de Setembro de 1971,num sábado, Palmeiras e Fluminense se enfrentaram no Estádio Palestra Itália em rodada do Campeonato Brasileiro e o Verdão fez o dever de casa com a vitória de 1 tento a 0, gol do Lateral direito Eurico.

O Jogo

PALMEIRAS (SP) 1 x 0 FLUMINENSE (RJ)
Data:
04/09/1971
Campeonato Brasileiro
Local: Parque Antártica / São Paulo
Árbitro: José Luís Barreto (RS)
Gol: Eurico 41/2º
PALMEIRAS: Leão, Eurico, Luís Pereira, Nélson (Polaco), Dé, Dudu (Héctor Silva), Ademir da Guia, Paulo Borges, Leivinha, César, Edu / Técnico: Mário Travaglini.
FLUMINENSE: Félix, Toninho, Galhardo, Assis, Marco Antônio, Silveira, Marquinho (Didi), Wílton, Ivair (Jair), Jeremias, Lula / Técnico: Zagallo.

O Craque: Ivair

Ivair Ferreira, o "Príncipe",nascido em Bauru (SP) no dia 27 de janeiro de 1945, foi um dos maiores ídolos da história da Lusa do Canindé. Começou nas categorias inferiores da Portuguesa, nas quais tinha o apelido de "Gibi". Sua estréia como profissional aconteceu em 1962, num jogo contra a Prudentina válido pelo segundo turno do Campeonato Paulista. A Portuguesa perdia o jogo por 1 a 0 até que, aos quarenta minutos do segundo tempo, Ivair empata a partida. Não agüentando a emoção, desmaiou em campo. . Só saiu de lá em 1969, transferindo-se para o Corinthians. Passou depois por Fluminense, Toronto, Los Angeles Astecas e América do Rio. Foi bicampeão da Liga Norte-Americana. Quando estava no Toronto, por sinal, teve a alegria de ver seu filho nascer. O ex-ponta-de-lança hoje mora em São Paulo, no bairro do Jardim São Bento, e trabalha com escolinhas de futebol nos bairros da Aclimação, Tremembé e Ipiranga. Casado, tem um filho de nome Denis

Um dia, Pelé descobriu que havia uma sombra do Rei em campo. Mais que isso. Viu que aquele menino teve a coragem de desafiar o (quase) imbatível Santos. Depois de marcar os três gols da vitória da Portuguesa de Desportos (3 a 2), em 1962, Ivair recebeu a camisa de Pelé. Entregue pelas mãos do próprio gênio, que reverenciou a ousadia do garoto. Assim, surgiu o Príncipe. “Acho que marquei mais de 300 gols na minha carreira. Nem sei direito.”

A imagem de Ivair permanece bem vinculada à Portuguesa de Desportos. É verdade que o ex-centroavante também atuou no Corinthians e Fluminense. Ainda passou pelo Canadá e Estados Unidos. Só que a Lusa significou muito mais no currículo do ex-craque. Tudo bem que ele tenha conquistado inúmeros títulos no Fluminense. No entanto, o Canindé esconde segredos que só Ivair consegue compreender. “Me identifiquei demais na Lusa. Como explicar isso? É claro que o Fluminense representou muito no meu currículo”, reconhece Ivair.

O nobre título de Príncipe envaidecia o refinado atacante, mas não alterava o comportamento de quem Se apoiava nos conselhos dos mais jogadores mais velhos. Entre eles, Ditão, Dida, Nair, Dudu e Oreco e o goleiro Gilmar dos Santos Neves. Dida, aliás, iniciou o Mundial-58 como titular e perdeu a vaga para Pelé.

Atualmente, Ivair mantém duas escolinhas de futebol — uma em Mairiporã, outra no Círculo Macabi/SP. Lá, os alunos desconhecem que o mestre era simplesmente o Príncipe nos tempos de Pelé. “Os pais contam, mas eu não falo. Nem gosto de comentar”, explica.

Além de transmitir os ensinamentos e as experiências de quem esteve lá, Ivair - ao lado de Pedro Rocha - revela talentos que são repassados a clubes profissionais do Brasil e da Comunidade Européia. Forlan, ex-lateral do São Paulo, completa o trio, mas no mercado uruguaio. “É um tipo de trabalho que me fascina. Gosto do que faço. Adoro futebol. É a minha paixão. Mas não jogo mais nem de brincadeira”.

Sem muitas chances com a camisa da Seleção Brasileira, Ivair foi um dos 47 convocados por Vicente Feola para a preparação da Copa de 66. Só que foi chamado para a ponta-esquerda e acabou sendo cortado porque concorreu com o santista Edu, com o são-paulino Paraná e ainda com os cortados Amarildo (Milan) e Rinaldo (Palmeiras).

Clubes
1963-1969: Portuguesa-SP
1970: Corinthians-SP
1971-1975: Fluminense-RJ
1975: America-RJ
1975: Paysandu-PA
1975-1979: Toronto Metros - Canadá
Cleveland Cobras - Estados Unidos
Kansas City Stars - Estados Unidos
Boston Athletic - Estados Unidos
Los Angeles Azteca - Estados Unidos
America-RJ

Títulos por equipe

Campeonato Carioca: 1971, 1973, 1975
Campeonato dos Estados Unidos: 1975, 1977

Fontes: Milton Neves, Gazeta Esportiva, Sambafoot

Nenhum comentário: