A EQUIPE DO FC08 DESEJA A TODOS...
UM PRÓSPERO ANO NOVO!!

segunda-feira, 3 de março de 2008

ZICO, O REI DO MARACANÃ

Zico recebendo prêmio no Jogo das Estrelas no ano passado
Foto: O Globo


Hoje é aniversário do nosso "Deus", Arthur Antunes Coimbra, ou simplesmente Zico. Nascido em 3 de março de 1953, o Galinho de Quintino comemora seu 55º aniversário. Considerado não só pela Nação Rubro-Negra mas também por muitos torcedores e especialistas como o maior jogador de futebol, acima até de Pelé, Zicão foi e sempre será o Rei do Maracanã.


História por clubes até o cargo de treinador:

Zico começou sua carreira numa equipe de futebol de salão criada por familiares (Juventude de Quintino), no bairro de Quintino, na zona norte do Rio de Janeiro.

Logo após, o gênio dos campos, jogou no River Futebol Clube, time de futsal no bairro da Piedade, e se transferiu para o Flamengo em seguida, onde trilhou sua carreira de 1967 até 1989, com uma interrupção de 1983 a 1985, no qual defendeu as cores da Udinese, da Itália.

Sua estréia como profissional com o Manto Sagrado ocorreu em um jogo em 1971, contra o "Eterno Vice", terminando com o placar de 2 a 1 para o Mengão. Porém, o nosso mestre só se consolidou na equipe titular em 1974, após passar por exaustiva preparação física devido o corpo franzino.

No comando do Flamengo, Zico comemorou junto com outros craques como Leandro, Adílio, Andrade, Nunes, Júnior, entre outros, a "Era de Ouro" do Flamengo com as maiores glórias que o clube já conquistou. Entre elas, o título da Libertadores da América, o Mundial de Clubes, o Campeonato Brasileiro de 1981, 82 e 83, a Copa União de 1987... São tantas conquistas que deixam os adversários com inveja.

Na primorosa final do Mundial de Clubes contra o Liverpool, Zico recebeu o apelido de "Rei da Europa". Por que será?

Em 1985, no retorno a Gávea, o Galinho sofreu sua pior contusão, após uma entrada grave do zagueiro do Bangu, Marcio Nunes, que entrou intencionalmente de carrinho no joelho do camisa 10. Os ligamentos cruzados do joelho foram rompidos, e o nosso Rei teve que se submeter a diversas operações. Porém a preocupação maior de Zico era voltar a andar normalmente. Depois de um tempo, o Galinho estava de volta aos gramados.

Em 6 de fevereiro de 1990, com o Maracanã lotado, o jogo de encerramento com a camisa rubro-negra. Em um amistoso contra a Seleção do Mundo, o placar foi o que menos importou (2 a 2), diante da tristeza da torcida do Flamengo. O Galinho se preparou muito para a despedida, mas a emoção falou mais forte e tomou conta do jogador. A partida foi transmitida para todo Brasil, inclusive para o Rio de Janeiro, e mais quatorze países. Foi um jogo inesquecível.



Ingresso histórico da despedida de Zico no Maracanã - Foto: Flapédia

Em 1991, para a surpresa de todos, Zico retornou ao futebol, jogando pelo Kashima Antlers, do Japão. Foi o difusor do esporte no país, e o responsável por popularizá-lo. Lá na terra dos olhos puxados, nosso ídolo ganhou o apelido de Pelé Branco.

Depois da despedida definitiva dos campos em solo oriental, o Galinho traçaria outro obejetivo em sua carreira, que era treinar a seleção japonesa. Depois de um insucesso no comando do Japão na Copa de 2006, na Alemanha, o Deus da Gávea rumou para a Turquia, comandando o Fenerbahçe, clube que ele treina e conta com importantes jogadores brasileiros como: Roberto Carlos, Alex, Edu Dracena e Deivid.

O sonho de qualquer torcedor do Fla que diz ter orgulho de ser rubro-negro é ver o Galinho ocupando o cargo principal desse clube que ele tanto venerou e continua amando. Porém enquanto certos dirigentes estiverem no comando do Mais Querido do Brasil, dificilmente o nosso Zicão retornará a boa e velha casa.

------------------------------------------------------


TÍTULOS:

Flamengo


Campeonato Mundial de Clubes: (1981)
Copa Libertadores da América: (1981)
Campeonato Brasileiro: 1980, 1982,1983,1987,1992
Campeonato Carioca: (1972, 1974, 1978, 1979 (Especial), 1979 (Regular), 1981 e 86)
Taça Guanabara: (1972, 73, 78, 79, 80, 81, 82, 88 e 89)
Troféu Ramón de Carranza (1979 e 80)
Torneio de Goiás (1975)
Torneio de Jundiaí (1975)
Taça Rio de Janeiro (1986)
Taça Euzébio de Andrade (1987)
Copa Kirin (JAP) (1988)
Troféu Colombino (1988)
Torneio de Mato Grosso (1976)
Troféu Ciudad de Santander (1980)
Torneio de Nápoles (Flamengo 1981)
Torneio de Hamburgo (ALE) (1989)
Campeonato Carioca Infantil (1969)
Campeonato Quadrangular Infantil (1969) Campeonato Carioca Juvenil (1972)


PRÊMIOS

Melhor Jogador do Futebol Brasileiro nos últimos 30 anos - Rede Globo/Globo Esporte (BRA) - (2003)
Melhor jogador das Américas eleito pelo jornal "El Mundo" (VEN) - (1977)
Melhor jogador do mundo eleito pelo "Guerin Esportivo" (ITA), "El Balón" (ESP), "El Mundo" (VEN) e revista "Placar" - (1981)
Melhor jogador das Américas eleito pelos jornais "El Gráfico" (ARG) e "El Mundo" (VEN) - (1982)
Melhor drible do Fifa Street 2 - "Ginga" - (2006)
Bola de Prata - Revista Placar - (1987)
Bola de Prata - Revista Placar - (1982)
Bola de Ouro - Revista Placar - (1982)
Bola de Ouro - Revista Placar - (1980)
Bola de Prata - Revista Placar - (1977)
Bola de Prata - Revista Placar - (1975)
Bola de Prata - Revista Placar - (1974)
Bola de Ouro - Revista Placar - (1974)

ARTILHARIA

Campeonato Carioca de Escolinha - 26 gols - 1970
Campeonato Carioca Infantil 1 - 9 gols - 1971
Campeonato Carioca Profissional - 30 gols - 1975
Taça Guanabara - 10 gols - 1975
Campeonato Carioca - 27 gols - 1977
Campeonato Carioca - 19 gols - 1978
Campeonato Carioca - 26 gols - 1979
Campeonato Especial - 34 gols - 1979
Torneio Ramón de Carranza - 3 gols - 1979
Torneio Ramon de Carranza (ESP) - 2 gols - 1980
Torneio de Santander (ESP) - 3 gols - 1980
Campeonato Brasileiro - 21 gols - 1980 (Rendendo também o prêmio de Bola de Prata da Revista Placar)
Taça Libertadores da América - 11 gols - 1981
Torneio de Nápoles (ITA) - 4 gols - 1981
Campeonato Brasileiro - 21 gols - 1982 (Rendendo também o prêmio de Bola de Prata da Revista Placar)
Taça Guanabara - 12 gols - 1982
Campeonato Carioca - 21 gols - 1982
Campeonato Italiano - 19 gols- 1983
Campeonato Japonês - 21 gols - 1992


----------------------------------------------------------

HOMENAGEM AO MAIOR ÍDOLO DA HISTÓRIA DO FLAMENGO

JORGE BENJOR - CAMISA 10 DA GÁVEA

"É falta na entrada da área / Adivinha quem vai bater / É o camisa 10 da Gávea / É o camisa 10 da Gávea

Ele tem uma dinâmica, física, rica e rítmica / Seus reflexos lúcidosLançamentos, dribles desconcertantes / Chutes maliciosos são como flashes eletrizantes / Estufando a rede num possível gol de placa / Estufando a rede num possível gol de placa, é gol, é gol

É falta na entrada da área / Adivinha quem vai bater / É o camisa 10 da Gávea / É o camisa 10 da Gávea

O galinho de Quintino chegou <Ôôôô> / Com garra fibra e amor <Ôôôô> / Pode não ser um jogador perfeito mas a sua malícia / O faz com que seja lembrado / Pois mesmo quando não está inspirado / Ele procura a inspiraçãoE cada gol, cada toque, cada jogada / É um deleite para os apaixonados do esporte bretão / E cada gol, cada toque, cada jogada / É um deleite para os apaixonados do esporte bretão

Zico!

É falta na entrada da área / Adivinha quem vai bater / É o camisa 10 da Gávea / É o camisa 10 da Gávea / É falta na entrada da área / Adivinha quem vai bater / É o camisa 10 da Gávea


VídeoBlog - Simplesmente Zico - O 10!




Fonte: Flapédia

Um comentário:

ICONOCLAST disse...

Como é que o Zico foi campeão Brasileiro em 1992 se ele já tinha encerrado a carreira (marcando 4 gols no fluminense, em Juiz de Fora)? E estão faltando vários títulos, como o Mundialito de 1981, em que o Brasil foi campeão!
NOTA ZEROOOOO!!!!!!!!!!