A EQUIPE DO FC08 DESEJA A TODOS...
UM PRÓSPERO ANO NOVO!!

sexta-feira, 23 de maio de 2008

SEU EDEVAIR, O PAI DO GÊNIO

Edevair de Souza Faria - *1931 / +2008
Foto: Globoesporte.com - Montagem: Renan de Moura

Edevair de Souza Faria, pai de Romário morreu aos 76 anos, ontem, após sofrer um ataque cardíaco. O ex-operário sempre sonhou em transformar o filho em um grande jogador de futebol. E com muita dedicação de seu pai e um talento puro e refinado do chamado Peixe, o sonho de Seu Edevair se concretizou com muita perfeição; talento que trouxe muitas alegrias à seu pai e a milhares de pessoas pelo mundo.

Torcedor fanático do América, ele (Edevair) nunca escondeu que queria ver o filho vestindo e atuando uma temporada que seja com a camisa do Alvirubro. Mesmo sem seu filho atender o pedido do pai, Seu Edevair teve o prazer de ver Romário vestindo a camisa do Mecão em um amistoso. Seu último pedido era ser enterrado com a camisa do América e a bandeira do clube, pedido prontamente acatado pela família.

Romário assim que soube da morte do pai, veio direto de Fortaleza, onde divulgava o seu DVD ("Romário é gol") para acompanhar o velório e o enterro daquela pessoa com quem tanto dividiu alegrias, tristezas, frustações e felicidades. Um homem que o sempre fez seguir o caminho do bem como o próprio craque já dizia:

_ Meu pai sempre acreditou muito em mim. A atitude dele e a minha coragem me formaram. Tenho certeza de que isso foi importante para eu estar aqui hoje. Ele me disse: não roubar, ter caráter, não fumar, não cheirar, não beber, não soltar pipa... e mais uma coisa que eu não posso falar - disse Romário.

No enterro muitas pessoas prestaram suas condolências à familía do Baixinho como o presidente do Vasco, Eurico Miranda, o atual técnico do time da Colina, Antônio Lopes, e dezenas de pessoas que estiveram presentes ao cemitério de Inhaúma, na zona norte do Rio de Janeiro.

O seu ciclo aqui na Terra Seu Edevair foi concluído com êxito e que Papai do Céu olhe e diga: "Esse foi o cara!"

O FC08 presta essa singela homenagem ao homem que fez desabrochar o Gênio da grande área:

(Fábio Júnior - Pai)


Pai, pode ser que daqui a algum tempo
Haja tempo pra gente ser mais
Muito mais que dois grandes amigos, pai e filho talvez
Pai, pode ser que daí você sinta, qualquer coisa entre esses vinte ou trinta
Longos anos em busca de paz....
Pai, pode crer, eu tô bem eu vou indo, tô tentando vivendo e pedindo
Com loucura pra você renascer...
Pai, eu não faço questão de ser tudo, só não quero e não vou ficar mudo
Pra falar de amor pra você
Pai, senta aqui que o jantar tá na mesa, fala um pouco tua voz tá tão presa
Nos ensine esse jogo da vida, onde a vida só paga pra ver
Pai, me perdoa essa insegurança, é que eu não sou mais aquela criança
Que um dia morrendo de medo, nos teus braços você fez segredo
Nos teus passos você foi mais eu
Pai, eu cresci e não houve outro jeito, quero só reencostar no teu peito
Pra pedir pra você ir lá em casa e brincar de vovô com meu filho
No tapete da sala de estar
Pai, você foi meu herói meu bandido, hoje é mais muito mais que um amigo
Nem você nem ninguém tá sozinho, você faz parte desse caminho
Que hoje eu sigo em paz

Nenhum comentário: