A EQUIPE DO FC08 DESEJA A TODOS...
UM PRÓSPERO ANO NOVO!!

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

COLUNA: DE OLHO NA PRESA

Torcida calorosa em seu estádio na cidade de Cuzco, no Peru

Seguindo a coluna “De olho na presa”, o Cienciano será o próximo adversário do Flamengo na Taça Libertadores da América, pela segunda rodada do torneio. O Mengão enfrenta o time peruano, hoje, no Maracanã, às 21h45min. Na primeira rodada, o clube peruano venceu o Nacional-URU, por 2 a 1. Portanto, torna-se um jogo de extrema importância principalmente para a equipe rubro-negra, que empatou contra o Coronel Bolognesi por 0 a 0 na estréia e tem a chance de assumir a liderança isolada do Grupo 4 (confira ao lado do blog a classificação).

O Club Sportivo Cienciano foi fundado em 08 de julho de 1901, como um time da faculdade de ciências da Universidade de Cuzco. Sua principal aliada para a busca de bons resultados dentro de casa é a altitude de mais de 3.000m. Mesmo não sendo um dos candidatos direto ao título mais importante do continente americano, o “El Papá” tem em sua galeria troféus importantes como a conquista do Clausura, em 2001, o torneio Apertura, em 2005 e as Copas El Grafico (2004 e 2005), El Libero (2005), Inka (2006) e Interandina (2004) que equivaliam ao 1º turno do campeonato. Porém as principais conquistas do time peruano são a Copa Sul-Americana, em 2003, diante do tradicional River Plate e a Recopa Sul-Americana, em 2004, derrotando o poderoso e temído Boca Juniors. No ranking da Conmebol, o Cienciano ocupa a quarta colocação em seu país.

Para disputar a Libertadores, o Cienciano conseguiu a maior pontuação no campeonato peruano de 2007, mesmo não sendo o campeão do Apertura (vice) e nem do Clausura (3º colocado). Entretanto a vaga só veio após vencer o Montevideo Wanderers pelo placar de 1 a 0 e empatar no segundo jogo em 0 a 0, na pré-Libertadores. O objetivo é igualar pelo menos o ano de 2002, em que o time chegou as oitavas, mas caiu diante do América, do México.

Garcilaso de la Vega, é um belíssimo estádio e casa do Cienciano, acomodando 45 mil torcedores. Foi reformado para a Copa América de 2004, e comportava apenas 22 mil lugares. O campo está em perfeitas condições, com uma grama natural e medidas que contribuem para uma bela partida (105 x 68 m). A torcida eufórica, apoia o time com cânticos na maior parte do tempo.

Vista panorâmica do estádio Garcilaso de la Vega, em Cuzco, no Peru - Foto: www.masquefutbol.com

O técnico Franco Navarro, manteve em sua equipe duas peças importantes da última temporada, o meia Balazar, responsável pelas armações e o meio-atacante Chiroque. Outros jogadores chegaram como o zagueiro colombiano Julio Romaña, ex-Cúcuta e que estava no Mineros-VEN e o brasileiro Victor Manique, ex-Internacional e Partizan-SER. O principal jogador do Cienciano não é um sul-americano, e sim um japonês, Masakatsu Sawa, que sonha vencer o Flamengo no “Maracanazo” (termo usado pelos uruguaios na conquista da Copa de 1950 em pleno Maracanã): “Sempre é um sonho para qualquer jogador de futebol jogar em um estádio tão importante como o Maracanã. Será a primeira vez que pisarei nesse campo. Por que não pensar numa vitória? Podemos fazer o "Maracanazo"”, responde a revista “Líbero’.

O comandante da equipe peruana também menosprezou a força de nossa torcida e disse que não iria se intimidar com o nosso apoio das arquibancadas. Ele não conhece a força da torcida rubro-negra que empurra o Flamengo em todas as ocasiões e torna os problemas mais difíceis em soluções simples. Vamos em busca da primeira vitória na Taça Libertadores 2008. Em casa, não há equipe que nos segure. “Vamos Mengão, avante Mengão, nosso time é forte!”


Ficha Pré-Jogo:

Flamengo: Bruno, Leonardo Moura, Fábio Luciano, Ronaldo Angelim e Juan; Cristian, Jaílton (Kleberson), Ibson e Toró; Diego Tardelli (Marcinho) e Souza. Técnico: Joel Santana

Cienciano: Flores, Solís, Marengo e Romaña; Bazalar, Corcuera, Ortiz, Garcia, Chiroque e Saua; Vassallo. Técnico: Franco Navarro

Local: Maracanã - Horário: 21h50 - Árbitro: Ricardo Grande (Paraguai) - Auxiliares: Carlos Galiano e Óscar Viera (Paraguai) - Quarto árbitro: Djalma Beltrami (Brasil)

Nenhum comentário: