A EQUIPE DO FC08 DESEJA A TODOS...
UM PRÓSPERO ANO NOVO!!

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Empate que complica!

Após três boas exibições fora de casa, o Vasco retornou ao seu lar para um duelo decisivo contra o Atlético-PR. A torcida compareceu em massa e deu um grande show. Faixas, luzes, bandeiras e três lindos bandeirões. Um espetáculo de causar inveja a muito time do topo da tabela. Uma hora antes do início do jogo, São Januário já estava absolutamente lotado. Não sobrou sequer espaço para os poucos atleticanos que compareceram. Eles tiveram de se alojar em um pequeno espaço nas sociais. Em campo, o time não passou de um empate por 2x2 e permaneceu na penúltima posição. O próximo jogo é o clássico contra o Fluminense, domingo às 19:10 no Maracanã.

Difícil entender o que faltou. Não faltou técnica, velocidade, garra e dedicação. O time jogou como deveria jogar, com muita aplicação tática e disposição para o ataque, sem ser afobado, como manda o figurino. Não faltou apoio da torcida, que empurrou o time até nos momentos mais difíceis do jogo. Faltou uma coisa, muito importante no futebol. Faltou cérebro para um jogador. Mais uma vez em duas falhas individuais de um mesmo atleta sofremos dois gols, a exemplo do que tinha acontecido contra o Goiás. Dessa vez não conseguimos quatro gols e apenas empatamos, complicando ainda mais nossa situação no campeonato.

O jogo começou equilibrado, com chances de ambos os lados. Madson e Edmundo desperdiçaram para o Vasco enquanto Pedro Oldoni quase marcou para o Furacão. Aos 27, o gol do Vasco. Edmundo deu passe genial para Mateus, que só rolou para Valmir marcar o primeiro. Explosão na Colina, com o gol daquele que até o momento era o pior jogador em campo. Parecia que aquela era mesmo uma noite cruzmaltina. Depois disso, o Vasco teve ótimas chances de ampliar o placar, pecando nas finalizações. Poderíamos ter saído do primeiro tempo com até três gols de vantagem. O Atlético-PR estava perdido. Sua única jogada era o bico pra frente na tentativa de Pedro Oldoni escorar para quem vinha de trás. Pouco funcionava. Jogo dominado, mas uma falha bisonha (mais uma) começou a mudar a história do jogo. Em um bico pra frente da defesa, Mateus resvalou de cabeça e a bola foi em direção ao escanteio. Jorge Luiz protegeu para que a bola saísse em córner para o furacão, ao invés de tirá-la do perigo. Patético. Na cobrança de escanteio, um bate-rebate resultou em gol do Atlético. Algumas vaias e xingamentos foram ouvidos na arquibancada, mas logo foram abafados pelos gritos de 'Vaaascooo'!

Terminado o primeiro tempo, ficou aquela sensação de injustiça no placar, mas futebol é bola na rede e pra nosso lamento, o jogo estava empatado. Edmundo sentiu a coxa e foi substituído por um nulo Alan Kardec, que pouco foi notado em campo. Renato também tirou Valmir, que estava com amarelo e muito nervoso, para entrada de Rodrigo Antônio.

Nos primeiros minutos da segunda etapa, o jogo estava pro Vasco. Tivemos boas chances com Madson, Alex Teixeira e Mateus. Até que nova falha por burrice comprometesse tudo. Em jogada de escanteio, os zagueiros foram pra área, como sempre acontece. Fora da área, a bola acabou sobrando pra Jorge Luiz, que acabou perdendo, com a defesa desprotegida. O que qualquer pessoa inteligente faria? Falta. Simples assim. Agarra o cara e pára a jogada. Porém Jorge não fez isso e o atleta adversário lançou Pedro Oldoni na direita. Jonílson perdeu a disputa no meio-campo e o atacante atleticano avançou em velocidade, finalizando cruzado para o gol. Ouvi dizer que a bola era defensável, mas de onde estava no estádio confesso que pouco deu pra observar o lance. Furacão 2x1.

Se já estava difícil, aí complicou de vez. No desespero, Renato tirou Mateus para entrada de Pinilla. Geninho recuou seu time, apostando nos contra-ataques com os velozes Ferreira e Júlio César. O jogo ficou eletrizante e a torcida tentava apoiar, ainda que tomada pela apreensão. A derrota seria um grande golpe em nossos objetivos. A situação piorou quando Fernando sentiu a coxa e só ficou em campo porque não tinhamos mais substituições a fazer. O zagueiro foi pro ataque e Jonílson foi puxado pra zaga, restando a Leandro Bomfim a função de primeiro volante.
Na base do abafa, o Vasco pressionava, principalmente com Baiano e Madson, os atletas que mais buscavam o jogo. Galatto operava milagres e até a trave e o juiz atrapalharam. Jorge Luiz cabeceou no travessão após escanteio e o juiz deixou de marcar pênalti em toque de mão dentro da área. o Atlético, usando dos contra-ataques também teve chances de marcar, mas pecou na hora H. Sorte do Vasco, que aos 42 conseguiu o empate. Madson, o melhor jogador do Vasco no Brasileirão, foi premiado por toda a sua luta. Um pombo sem asas, no ângulo, acordando a coruja que repousava em paz no gol de Galatto. Golaço! Explosão da galera!

Nos minutos finais, a torcida tentou apoiar rumo à virada. Ela quase veio, quando Alex Teixeira foi derrubado dentro da área, mas novamente o juiz fez vista grossa. Fim de jogo e um 2x2 amargo pela posição do time, mas com um gosto de alívio pelo gol no final. O gol no fim de Madson acabou sendo importantíssimo não só pelo ponto somado, mas por impedir que o Atlético se desgarrasse de nós na classificação. Resta agora manter o espírito de luta e brio nas seis partidas que faltam. Continuamos vacilando por erros burros. Não são erros técnicos, são erros de burrice. Se o time tiver atenção na marcação, o ataque dá conta do recado e vencemos. Antes fazíamos pênaltis em demasia. Isso parece ter acabado. Antes tinhamos muitas expulsões. Isso também parece ter acabado. Se corrigirmos corrigir esses vacilos nesta reta final vamos nos safar da degola. Que venha o clássico contra o Fluminense no próximo domingo.

O forte Cruzeiro fez apenas um gol em casa contra o Atlético-PR. O Flamengo, que briga na frente também. O Palmeiras idem. A diferença é que esses times não sofreram gol. O Vasco fez dois e poderia ter feito muito mais. No geral não dá pra criticar o time, pois mais uma vez o resultado foi prejudicado por falhas individuais de um jogador.

Além disso, foram dois pênaltis claríssimos não marcados. Netinho fez uma defesaça em um chute de Madson e Alex Teixeira foi derrubado quando o jogo já estava 2x2. Seria a virada do Vascão!

Só mais uma coisa! Eu bem que avisei que era pra barrar o jorge Luiz e deixar o Eduardo...
Sds vascaínas a todos!

3 comentários:

Saulo disse...

Foi um péssimo empate para o Vasco que só fez aumentar a preocupação com a segunda divisão. O time não pode mais vacilar.

Almirante disse...

Vacilamos e só um milagre nos salva.

Sobre o Futebol Carioca disse...

madson esta jogando muito.